URGÊNCIA DE VIVER

Discípulo: Mestre, porque muitos homens vivem apressadamente e outros parecem ter uma eternidade pela frente ?

Mestre: Todos os anos, nessa hora festiva, observo seus rostos e vejo algo indefinível em suas expressões. Sei lá, um misto de alegria e tristeza… não sei se tristeza é a palavra certa, talvez apreensão. Antigamente não entendia o porquê. Hoje, um pouco mais velho, um pouco mais maduro, um pouco mais vivido, um pouco mais sensível, acho que consigo compreender. A matemática da vida não é simples. Cada soma é também uma subtração. Quando somamos mais um Ano Novo àqueles que já vivemos, subtraímos um Novo Ano daqueles que nos resta viver. Então a felicidade de estarmos aqui hoje à noite vem acompanhada da melancólica percepção de que o tempo voa e a vida passa. Nessa hora de alegria, talvez mais do que em qualquer outra, sentimos a URGÊNCIA DE VIVER. Certa vez ouvi alguém dizer: “NÃO SEJA PACIENTE”. À primeira vista, tal conselho parece ir de encontro à uma das qualidades mais valorizadas pela humanidade – paciência é uma virtude! No entanto, ao refletirmos sobre estas palavras, percebemos que elas contêm uma grande sabedoria. A IMPACIÊNCIA é necessária para remediar nossa tendência tão humana de protelar. Pois a verdade é que, em muitas áreas vitais da nossa existência, somos pacientes demais. Esperamos muito para fazer o que precisa ser feito, num mundo que só nos dá um dia de cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã. Enquanto lamentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos à nossa disposição um estoque inesgotável de tempo. Esperamos demais para dizer as palavras de perdão que devem ser ditas, para pôr de lado os rancores que devem ser expulsos, para expressar gratidão, para dar ânimo, para oferecer consolo. Esperamos demais para sermos generosos, deixando que a demora diminua a alegria de dar espontaneamente. Esperamos demais para ser pais de nossos filhos pequenos, esquecendo quão curto é o tempo em que eles são pequenos, quão depressa a vida os fará crescer e ir embora. Esperamos demais para dar carinho aos nossos pais, irmão e amigos. Quem sabe quão logo será tarde demais? Esperamos demais para ler os livros, ouvir as músicas, ver os quadros que estão esperando para alargar nossa mente, enriquecer nosso espírito e expandir nossa alma. Esperamos demais para anunciar as preces que estão esperando para atravessar nossos lábios, para executar as tarefas que estão esperando para serem cumpridas, para demonstrar o amor que talvez não seja mais necessário amanhã. Esperamos demais nos bastidores, quando a vida nos dá um papel importante para desempenharmos no palco…

Projeto social com fins filantrópicos e viés filosófico, apoiado pela Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo de Santa Rita do Sapucaí e pelo blog Vale Independente. Visa proporcionar opções esportivas para jovens e crianças, trabalhando preventivamente a questão das drogas e da violência, além de promover as artes marciais e seus mestres, através de encontros e palestras. Parte da renda será revertida para instituições de caridade e associações culturais.

Juliano Nascimento leciona Muay Thai em Santa Rita, cedendo sua academia, CT Ludus, situada na Rua Juca Castelo, 681, para o Wing Chun – Kung Fu, colaborando também para o projeto social “Fraternidade Santa-ritense”. Ele é o mestre destaque do mês. 

Informações: 

Aikido e KumBoTae:     (35) 9 9200-0333

Wing Chun – Kung Fu:    (35) 9 8721-2101

Esse post foi publicado em Esporte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s