Abra o olho para o Conto do Vigario

      O golpe que a “vigarista” Marcia Cristina Balestra Pereira vinha aplicando na cidade de Santa Rita há algumas semanas, deixou muita gente de boa fé indignada e resolvemos falar um pouco do quanto é facil cair na labia das pessoas desonestas. 

      Com tantos contos bem contados para tirar os ‘contos’ de incautas senhoras cidade afora, compulsei o ‘pai dos burros’ em busca do conto que me explicasse o “Conto do Vigário”. Aurélio, porém, não me disse muita coisa além do que eu já sabia. Na verdade disse menos. Vigário ou padre, lá pelos idos de vovó criança’ – bons tempos – sem gozar dos meios de comunicação de hoje, levava sua mensagem à seus fieis ou ateus na marra, na garganta, falando até quase ficar rouco para convencê-los. 

      Quando o vigário conseguia seu objetivo, dizia-se que a pessoa que foi dobrada, convencida, ‘aceitou’, ‘caiu’ no‘conto do vigário’. Quando alguém usava a palavra para convencer o interlocutor de determinado ponto de vista, dizia-se que ela estava aplicando o conto do vigário. Injustamente a expressão ganhou tom pejorativo e passou a ser usada para se referir ao guampudo que tira vantagem de alguém através da palavra, convencendo-o a fazer um negocio que não faria com poucas palavras. Nascia então a expressão ….”conto do vigario”

     O mais famoso dos contos é o do bilhete premiado. Mas tem também o do cheque achado, o da moeda, que foi lançado outro dia e até aquele que o Virgilio me contou dias atrás, o da entrevista premiada: A telefonista com voz adocicada de musa de inverno liga para você e diz que aquela entrevista que você deu para uma revista especializada em educação anos atrás, foi premiada e você ganhou uma belíssima coleção de livros, totalmente de graça e só terá que pagar o transporte de Joinville para sua casa, cerca de 220 reais.

      Outro dia eu ganhei um Citroen C4 Pallas, zero bala. Eu só tinha que ligar de um telefone fixo e ouvir a orientação… de uma penitenciaria estadual qualquer para receber as chaves….de burro.

       Tem também o Conto da Cadeira de Rodas no qual você não ganha nada, mas faz uma caridade, uma boa ação. È o caso da Márcia Cristina, que saiu pela cidade arrecadando dinheiro para comprar uma cadeira de rodas para sua irmã Maria Aparecida, coitada, 184 quilos e sem pernas. Muita gente caridosa ajudou Márcia, porém sua irmã Maria Aparecida pesa cerca de 70 quilos e tem as pernas tão boas quanto as minhas que sou atleta.    

     Enfim, os vigaristas de plantão pessoas que tiram até chifre de cabeça de cavalo na lábia têm sempre um conto novo para tirar seus contos “de réis”.

     O ultimo lançamento do Conto do Vigário no entanto, nem o meu saudoso amigo Inspetor Ângelo, que chegou à Pouso Alegre no tempo em que o também saudoso Moacir Bocudo se fantasiava de Zorro na Davi campista ouviu falar. È o “conto do benzedor”.     

     Outro dia o casal Dolores , 82 e Sebastião de Almeida, 90 anos caiu neste golpe, no Conto do Benzedor. Qualquer hora destas vamos contar a historia do casal de velhinhos que sacou todas as economias da poupança….. para “benzer”.

 

Esse post foi publicado em Cidade, Geral, Notícias Policiais, Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s