Musicoterapia auxilia na saúde e bem-estar de recém-nascidos no hospital do Ipsemg

Redução dos níveis de ruído pode melhorar a estabilidade fisiológica do bebê e ampliar o potencial de desenvolvimento do cérebro infantil

content_musicoterapia-0701_site

A neonatologia do Hospital Governador Israel Pinheiro (HGIP), unidade própria do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), em Belo Horizonte,  adotou, recentemente, uma estratégia terapêutica que utiliza a música como meio de promover a saúde e o bem-estar de recém-nascidos acolhidos no local. O projeto de musicoterapia, idealizado pela neonatologista,  Carmem Wurtz, ajuda a aliviar a dor, ansiedade, estresse emocional, dentre outras condições que acometem o pequeno paciente.

Todos os dias, de 10h às 10h30 e de 16h às 16h30, as luzes da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais (UCIN), localizado no sétimo andar do Hospital do Ipsemg, são apagadas e apenas procedimentos de urgência são realizados. “O silêncio é priorizado e a melodias calmas como: Mozart para bebês, Beatles para bebês e sons da natureza, são tocadas em volume baixo, tudo para criar um clima de tranquilidade e paz para os bebês, mães e equipes”, diz a Dra. Carmem. A ação tem o apoio dos profissionais lotados no local e da gestora e médica pediátrica da UCIN, Dra. Alessandra Machado.

Durante a hospitalização um recém-nascido, doente ou prematuro, pode ser exposto a técnicas e procedimentos invasivos e potencialmente dolorosos, que impactam sua qualidade de vida e desenvolvimento neuropsicomotor. A redução dos níveis de ruído da UCIN pode melhorar a estabilidade fisiológica do bebê e, portanto, ampliar o potencial de desenvolvimento do cérebro infantil.

Estudos indicam que a presença do som ritmado e harmônico contribui para aliviar as dores de causas físicas e emocionais e age em parâmetros como frequência cardíaca, pressão arterial sistêmica e temperatura corporal, além de regularizar o ritmo respiratório e melhorar o sono. “Podemos verificar uma reação positiva à musicoterapia através da melhoria dos dados vitais do recém-nascido, a diminuição dos ciclos de choro e agitação e até mesmo com uma ascensão da curva de peso”, explica a neonatologista.

Perguntada sobre o impacto da musicoterapia nos pais, a Dra. Carmem Wurtz explica que eles adquirem mais confiança, se aproximam de seus filhos e aprendem a esperar o tempo do bebê, além de confiar mais na equipe.

auge ofere

Esse post foi publicado em Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s