Dia dos Idosos – Envelhecimento da população aumenta preocupação e demanda nos serviços de cuidado com idoso

Prevenção e recuperação de pacientes em relação à pandemia são as maiores preocupações, aponta especialista

A inversão da pirâmide etária, caracterizada pela porcentagem cada vez maior de idosos entre a população, é um fenômeno já previsto entre os especialistas e que tem avançado de forma rápida no Brasil. Segundo dados do IBGE, nos últimos 10 anos essa faixa da população aumentou cerca de 30%.

Especialista avalia que a preocupação com soluções e profissionais que foquem em promover bem estar e qualidade de vida à terceira idade era uma realidade em crescimento e a ocupação de cuidador já caminhava como uma das profissões da área da saúde com mais demanda. O impacto maior da pandemia sobre esta população intensificou este fenômeno:

“O cenário que identificamos durante a pandemia mostra que a procura pelo profissional cuidador tem sido ainda maior e leva em conta dois fatores principais. O primeiro é a preocupação em evitar hospitalizações prolongadas por outras patologias, com receio da contaminação com o vírus SARS-Cov-2 nesses ambientes. Nesse aspecto, se destacam soluções de cuidado domiciliar, com o surgimento de várias empresas de home care. O segundo aspecto é a recuperação de pacientes críticos devido à doença, que passaram por procedimentos como intubação e sedação e que agora necessitam de cuidados domiciliares especializados para melhor reabilitação”, destaca a docente do Senac na área de saúde, Mara Angélica de Oliveira.

A especialista salienta que isso se aplica tanto para o mercado particular, quanto para as instituições do poder público voltadas para esta população. Segundo o Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar (Nead Saúde), os negócios do ramo tiveram um boom. Em 2018 eram 18 empresas atuando nesse mercado, hoje, já são mais de 830.

Minas Gerais é o segundo estado com maior porcentagem de pessoas com mais de 60 anos, grupo que chega a cerca de 2,7 milhões de cidadãos. De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Minas Gerais dispõe atualmente de 464 unidades de acolhimento para este público, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), que atendem mais de 16 mil pessoas.

Promover a independência

Para lidar com esse cenário, a característica que deve guiar os profissionais é o apoio em direção à autonomia, indica a docente Mara Angélica de Oliveira. Ela considera que a pandemia não irá frear o fenômeno dos superidosos, pessoas cada vez mais longevas, acima dos 80 anos e que buscam se manter ativas na sociedade. O profissional deve estar atento e preparado para este público:

“Mesmo pessoas que não sofreram diretamente com  doença ficaram suscetíveis a efeitos do isolamento social, como aumento do sedentarismo, perda de peso e intensidade física e até em aspectos psicológicos. O cuidado passa pela higiene e conforto da pessoa idosa em suas atividades de vida diária e o ideal é sempre que possível estimular a independência e autonomia nas atividades de vida diária. Hoje os próprios idosos e familiares identificam a necessidade da assistência do profissional cuidador, de trazer o respaldo técnico e saberem atender com responsabilidade as demandas da pessoa idosa”, afirma.

Formação em Cuidados com Idoso

Para quem deseja ingressar na área, o curso do Senac de Cuidador de Idosos é uma alternativa com um grande leque de opções de atuação. Na formação, o aluno desenvolve uma trilha formativa que caminha desde a definição de envelhecimento até à percepção das boas práticas para o envelhecimento bem sucedido, ações de cuidados básicos com o idoso frágil, noções básicas sobre as estruturas do corpo humano, manejo do cuidado ao idoso com síndromes geriátricas e quadros demenciais, cuidados com a higiene e conforto do idoso, cuidados com a nutrição e alimentação, controle do uso de medicamentos e polifarmácia, entre outros temas.

A duração é de 160 horas e o curso pode ser usado como forma de aprofundamento de conhecimentos para profissionais de saúde ou opção para ingressar no mercado, já que não exige formação prévia na área. O curso é oferecido por várias unidades Senac, também pelo Programa Senac de Gratuidade. Mais informações podem ser conferidas no site da instituição.

Sobre o Senac em Minas

Com um olhar atento às tendências mundiais e no contexto da Revolução 4.0, o Senac tem como propósito oferecer educação profissional de qualidade, com base nas demandas empresariais e sociais, e nas tendências do mundo do trabalho, da inovação e dos princípios de sustentabilidade. O portfólio de cursos da instituição é desenvolvido com base na necessidade do mercado, considerando pesquisas, estudos e contatos diretos com os empresários. São 41 unidades educacionais distribuídas no estado e 12 carretas móveis que reproduzem os ambientes das salas de aula.

O Senac oferece opções de cursos livres, técnicos, graduação e MBA, que permitem uma formação complementar transversal, o chamado itinerário formativo. O aluno pode traçar sua trajetória partindo dos cursos de formação inicial chegando ao ensino superior ou vice-versa. Além disso, a variedade de segmentos de atuação (gestão, saúde, gastronomia, comércio, idiomas, tecnologia da informação, moda, segurança, beleza, meio ambiente, turismo, design, produção de alimentos, entre outros) corroboram com uma formação diferenciada.

ASCOM SENAC

auge ofere

Esse post foi publicado em Geral. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s