Ibama faz maior apreensão de araucária da história em Minas Gerais durante operação na Serra da Mantiqueira

A Superintendência do Ibama em Minas Gerais apreendeu 414 toras de araucária na Serra da Mantiqueira, em Congonhal, no Sul de MG. De acordo com o Ibama, a operação é considerada a maior apreensão de araucária da história já realizada no estado. Segundo o órgão, durante a ação, também foi constata 3.069,33 m³ em créditos virtuais, o que serviria para acobertar a madeira extraída ilegalmente.

Fotos: Ibama

Segundo o Ibama, a ‘Operação Angustifólia’ foi iniciada na segunda-feira (10) na região da Serra da Mantiqueira, com o objetivo de identificar fraudes no sistema de controle florestal envolvendo a espécie araucária.

O Ibama explicou que, a partir de auditoria realizada no sistema florestal, foi identificada movimentação suspeita de créditos virtuais de araucária. Estes créditos virtuais, ainda segundo o órgão, eram originados nos plantios de araucária na Serra da Mantiqueira.

Com isso, durante a operação, que teve o resultado divulgado nesta quinta-feira (13), o Ibama apreendeu as 414 toras de araucária cortadas ilegalmente.

O Ibama revelou que a madeira apreendida na ação foi doada para o IF Sul de Minas e Prefeitura de Inconfidentes.

‘Araucária virtual’

O Ibama explicou que para a madeira ser considerada legal a mesma deve estar acobertada com o respectivo crédito virtual no sistema. Segundo o órgão, as transações meramente virtuais além de caracterizarem infrações administrativas podem ser também artifícios utilizados para acobertar madeira de araucaria extraída ilegalmente.

“Cada transferência comercial de madeira deve ser feita com a emissão da GCA [Guia de Controle Ambiental], quando os créditos são transferidos da empresa vendedora para compradora. Contudo, parte dessas transações virtuais [que resultaram na operação na Serra da Mantiqueira] não coincidiam com as transações da madeira física, caracterizando-se infração ambiental”, explicou o Ibama.

Esse saldo ilegal constante no sistema do estado, de acordo com o Ibama, é suficiente para acobertar mais de 100 carretas bi trem carregadas com toras de araucária.

“A retirada desse saldo virtual do sistema evita o seu uso para o acobertamento de madeira nativa de araucária angustifólia, prevenindo a ocorrência de crimes ambientais e danos à biodiversidade”, disse o Ibama.

G1 Sul de Minas

helen ofere

Esse post foi publicado em Geral. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s