Prefeitura de Itajubá indica Ivermectina no tratamento precoce de Covid

Ivermectina, Vitamina D e Zinco estarão disponíveis nos postos de saúde a partir de segunda (15). Especialista explica que não há estudo indicando eficácia de medicamento

O prefeito de Itajubá, Chritian Gonçalves e o vice-prefeito e Secretário de Saúde, Nilo Baracho, que é médico, divulgaram um vídeo onde afirmam que, a partir de segunda-feira, 15 de março, a prefeitura irá disponibilizar os medicamentos Ivermectina, Zinco e Vitamina D para serem utilizados no tratamento precoce da Covid-19.

A decisão foi tomada após um surto de novos casos e mortes em decorrência do coronavírus na cidade. Porém, não há, até o momento, estudo científica que comprava a eficácia da Ivermectina, principal medicamento desse kit, no combate à Covid.

“Estamos aqui para anunciamos mais uma importante medida no combate à Covid-19. A partir dessa segunda-feira, 15 de março, nós iremos disponibilizar em nossos postos de saúde, os medicamentos Ivermectina, Zinco e Vitamina D para o tratamento precoce no combate à Covid-19”, afirma o prefeito que ainda explicou que os medicamentos foram doados por uma farmácia da cidade.

“Dessa forma, os nossos médicos dos postos de saúde poderão prescrever esses medicamentos. É muito importante ressaltar que ao aparecimento dos primeiros sintomas sugestivos de Covid-19, você deve procurar tratamento médico”, diz no vídeo o vice-prefeito e secretário de Saúde.

Medicamentos sem comprovação científica para Covid

A médica infectologista Lívia Vitale, consultada pela reportagem do Terra do Mandu, explica não há comprovação científica do uso desses medicamentos e não existe tratamento precoce. O que existe é o tratamento preventivo, as maneiras de se evitar a ser contaminado pela Covid-19, que é o uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos e a vacina. “Então, enquanto não chega a vacina, nós não temos outra opção”, afirma a infectologista.

A especialista também afirma que a indicação desses medicamentos pode desviar o foco no combate à pandemia e essa indicação acontece apenas no Brasil. “Se fosse verdade tudo isso, porque os outros países não estariam usando? São tratamento milagrosos que não tem nenhuma comprovação científica. E que, inclusive, pode fazer mal”, alerta Lívia Vitale: “A Ivermectina em alta doses pode dar uma hepatite medicamentosa e convulsões”.

“Não existe nenhuma, nenhuma comprovação científica. O que existe são algumas pessoas que usaram, e aí, como a maioria das pessoas melhora com ou sem, apesar desses medicamentos, aqui no Brasil nossos líderes querem trazer tratamentos para incentivar as pessoas continuar na vida ‘normal’, e a gente sabe que isso não é possível”, finaliza a infectologista que ainda citou os dois estudos mais recentes sobre o uso desses medicamentos e publicados em revistas médicas de maior prestígio no mundo.

Após repercussão com comentários divergentes sobre indicação de kit, a prefeitura excluiu o vídeo de sua página no Facebook.

Itajubá tem maior número de mortes do Sul de Minas

Itajubá é a cidade do Sul de Minas com o maior número de mortes por Covid-19. De acordo com o boletim da prefeitura, divulgado na noite deste sábado (13), são 168 óbitos em decorrência da doença. Na semana, foram confirmadas 29 mortes na cidade. O número de novos casos de moradores infectados na semana foram de 572.

A ocupação dos leitos de UTI e enfermaria está em 98% na microrregião de Itajubá.

TV Minas

Esse post foi publicado em COVID 19. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s