Câmara Municipal presta homenagem ao Monsenhor José Carneiro

Os vereadores que subscrevem a presente Moção, manifestam suas congratulações e felicitações ao Reverendíssimo Monsenhor José Carneiro Pinto, em comemoração ao seu aniversário natalício, que ocorrerá amanhã dia 20 de outubro, quando este nosso querido amigo completará 99 anos de vida, sendo grande parte deles dedicados ao nosso povo, conduzindo-nos nos caminhos de Deus.

Se um dia formos escrever um livro sobre a história de nossa cidade, é impossível não citar a trajetória de vida do nosso Reverendíssimo, irmão e amigo Monsenhor José Carneiro Pinto. Para quem ainda não teve este privilégio de conhecer a trajetória de vida do Monsenhor José Carneiro Pinto, relatamos:

Monsenhor José Carneiro Pinto, Pároco Emérito de Santa Rita de Sapucaí, nasceu em Itajubá em 20 de outubro de 1921. Filho de Victor de Souza Pinto e Maria Carneiro Pinto. Iniciou seus estudos em Santa Rita do Sapucaí. Com sua família mudou-se para Paraisópolis e Borda da Mata, retornando para Santa Rita do Sapucaí.

Fez o curso Secundário no Seminário de Pouso Alegre e Mariana. Cursou Filosofia e Teologia no Seminário São José, Arquidiocese de Mariana.

Ordenou-se sacerdote em 08 de dezembro de 1946, na Catedral de Pouso Alegre, por Dom Octávio Chagas Miranda, Bispo Diocesano.

Celebrou sai 1ª Missa Solene em 15 de dezembro de 1946, em Santa Rita do Sapucaí.

Exerceu seu Ministério Sacerdotal em Santa Rita do Sapucaí e Pouso Alegre, onde foi Professor no Seminário e Vigário; Cooperador da Catedral e Vigário Ecônomo de Congonhal. Vigário Substituto de Brasópolis por 06 meses. De 1948 a 1953 foi Vigário Cooperador de Paraisópolis, simultaneamente, e Vigário Administrador de Consolação e Gonçalves. Em 1952, também atuou em Conceição dos Ouros.

Em Santa Rita do Sapucaí foi Vigário Administrador.

Em 1955, Padre José promoveu as Missões dos Padres Capuchinhos com Frei Bernardino e outros, trazendo de Portugal a belíssima imagem de Nossa Senhora de Fátima que teve uma recepção maravilhosa. Padre José prometia neste dia uma Igreja para Nossa Senhora de Fátima, hoje não só a Igreja, mas a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima são frutos de seu sonho realizado.

Em 15 de agosto de 1955 promoveu a Concentração da Pia União das Filhas de Maria, com 1.500 jovens, e com a presença do Monsenhor Otaviano Lamaneres, diretor da Pia União e Dom José Lázaro Neves, orador convidado.

Também em 1955 recebeu em Santa Rita do Sapucaí, os Padres Redentoristas que fundaram o seminário São José em nossa cidade, permanecendo por 06 anos, como Reitor o Padre José Márcio de Carvalho e Diretor Padre Raimundo de Almeida.

Em 09 de Abril de 1957, Padre José e nomeado Pároco de Santa Rita do Sapucaí por sua Excelência Dom Otávio Chagas de Miranda- Bispo Diocesano.

Grandiosa Festa do Quinto Centenário da Morte de Santa Rita
22 de maio de 1457 – 22 de maio de 1957
O acontecimento foi preparado em abril, com as Missões dos Padres Redentoristas Pé. Lúcio Pinho, Pé. Márcio de Carvalho, Pé. Mário Gonçalves Ferreira e Pe. Raimundo Pinto de Almeida, autor do popular hino de Santa Rita. Terminando com a plantação do Santo Cruzeiro no morro da Paineira. Final de abril, a visita Pastoral do Exmo. Bispo Auxiliar de Dom Otávio, Dom Oscar de Oliveira. Houve crismas, visitas às escolas, missas solenes, etc.

Festa do Quinto Centenário
Parte Social: Dona Luzia Rennó Moreira, organizando uma grande programação com noites das Nações, iluminação da igreja por fora, praças e ruas com arcos luminosos e um escudo com os emblemas de Santa Rita em todas as casas. 800 Ritas e pagens: crianças, jovens e senhoras vestidos de Santa Rita e os meninos, os pagens, com roupas típicas para o dia 22 de maio. Foi tudo maravilhoso. Dr. Nazareno Rennó foi o festeiro, que organizou os leilões e o belíssimo leilão de gado, com 613 vacas, novilhos e bezerros de raça.
Parte Religiosa: Padre José Carneiro Pinto, com as Irmandades e Padres Redentoristas. 12 de Maio, recepção soleníssima da imagem de Santa Rita na urna, vinda de Cássia, Itália, com o manto e a relíquia “Exossibus” de Santa Rita. Sua chegada ao Brasil teve sua história miraculosa. O nosso Santo Monsenhor Alderige teve esta expressão quando veio de Santa Rita de Caldas e disse: Padre Carneiro, a minha Santa Rita é da terra e a sua é do céu!…
Dia 13 de maio, com novena, com pregadores de nossa diocese e os Padres Redentoristas. No Tríduo, tivemos a palavra do grande conferencista católico conhecido no Brasil inteiro, Professor Dr. Eurípedes Cardoso Meneses. Missas e pregações especiais dos Exmos. Srs. Dom Oscar de Oliveira, Bispo Auxiliar, Dom Hugo Bressane de Araújo, Arcebispo Bispo de Marília e Dom Delfim Ribeiro Guedes, Bispo de Leopoldina. Foi armado em frente a Matriz, um altar monumento para as celebrações do Tríduo e do dia 22 de maio. Procissão luminosa soleníssima, a coroação de Santa Rita da urna, a benção dos três bispos. Leilão de encerramento e fogos luminosos. Foi uma Festa que marcou a história da devoção à Santa Rita.

Padres Jesuítas
Em 08 de janeiro de 1959, os Padres Jesuítas foram recebidos com grande manifestação promovida pelo Padre José. Missa solene em frente o IME, Instituto Moderno de Educação e Ensino, celebrada pelos padres Caballero e Constantino Gonçalez. Falaram Dr. Arlete Teles Pereira e Padre José. Padre Alexandre Caballero, diretor da Escola de Eletrônica e Padre Constantino Gonçalez, diretor do IME.
1961 e 1962- Padre José aceita o convite para Diretor Fundador do Ginásio de São Sebastião da Bela Vista a pedido do prefeito Francisco Balbino.
8 e 9 de dezembro de 1971- Celebrou seu jubileu de Prata Sacerdotal.

22 de setembro de 1972 – Nomeado Cônego Catedrático do Cabido Metropolitano da Arquidiocese de Pouso Alegre, pelo Arcebispo Dom José D’Angelo Neto.
1970 a 1985 – Membro do Conselho Presbiteral e Consultivo da Arquidiocese 1986 a 1988 – Vigário Administrador de São Sebastião da Bela Vista
1989 até hoje – Diretor Arquidiocesano do Apostolado da Oração
19 de agosto de 1993 – recebe o título de Monsenhor de S. Santidade o Papa João Paulo II a pedido de Dom João Bergese, Arcebispo de Pouso Alegre, com uma grande manifestação, na paróquia.
10 de abril de 1995 – Empossado Membro da Academia Santarritense de Ciências e Letras, tendo por patrono o Mons. Victor Rodrigues de Assis, Santarritense.

Missões Redentoristas
Padre José promove de 9 a 25 de agosto de 1996 a “Grandiosa Missão” com 20 Padres Redentoristas, 16 Noviços e 2 Irmãs missionárias em todas as comunidades rurais e urbanas da paróquia de Santa Rita de Cássia; tendo como coordenador o Pe. Sebastião Marques da Silva.
Foram dias de profunda renovação da Fé Cristã!…

Jubileu Áureo Sacerdotal do Papa João Paulo II que convidou todos os Sacerdotes Jubilares do mundo para celebrar em Roma, de 07 a 10 de novembro de 1996.
Neste acontecimento Monsenhor José teve este presente dos paroquianos, participando com outros tantos 1.800 Padres, 84 Bispos e 4 Cardeais, com a celebração soleníssima na Basílica de São Pedro.
08 de dezembro de 1996 – A Paróquia de Santa Rita do Cássia homenageou Monsenhor José, com uma solene celebração pelos seus 50 anos de sacerdócio, com a presença do Sr. Arcebispo Dom Ricardo Pedro Chaves; Dom Geraldo Magela Reis, Arcebispo de Diamantina; Dom Estevão Cardoso Avelar, Bispo Emérito de Uberlândia; Dom José Carlos de Lima Vaz, Bispo de Petrópolis e Dom João Bosco Oliver de Faria, Bispo de Patos de Minas e muitos sacerdotes da Arquidiocese e várias outras Dioceses, muitos religiosos, muitas autoridades e povo amigo.
22 de setembro de 1997 – Após 40 anos como Pároco, Pe. José apresenta sua renúncia ao Arcebispo Metropolitano e tem como sucessor o Pe. José Setembrino de Melo, alguns anos depois, Pe. Vonilton Augusto Ferreira, Cônego Benedito Ramon Pinto e atualmente Pe. Omar Aparecido de Siqueira.

Outras atividades de Padre José Carneiro Pinto
Em 1955, com D. Luzia Rennó Moreira (D. Sinhá), o Padre José, após uma celebração natalina para 400 pobres com um jantar na Praça da Matriz, nascia o Educandário Santa-Ritense visando assistência à juventude carente. Foi criada a Escola Primária Nossa Senhora de Fátima, para 300 alunos no prédio que D. Sinhá pediu da antiga companhia de Eletricidade Sul Mineira que fornecia energia elétrica para a região e mais tarde Padre José adquiriu para a paróquia o referido prédio. Padre José conseguiu com o Ministério do Trabalho, com seu departamento em Belo Horizonte que funcionaram por 8 anos os cursos intensivos de eletrodomésticos, sapataria e curso de corte e costura, prendas domésticas, reparador de rádio na Escola de Fátima à noite.

IME e INATEL
Outro movimento que Pe. José dirigiu foi a compra do IME (Instituto Moderno de Educação e Ensino) ou o Ginásio do Sr. Castilho e D. Espanha. Dom José D’ Ângelo Neto ouviu e aprovou que duas festas de Santa Rita de 1959 e 1960 fossem para a compra do IME. O Educandário Santa-Ritense aceitou a incumbência e a compra foi feita por Cr$ 2.250.000,00 (dois milhões de duzentos e cinquenta mil cruzeiros). Foi quando D. Sinhá Moreira trazia para Santa Rita os Padres Jesuítas que assumiram a direção da Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa e o Instituto Moderno de Educação e Ensino. O IME teve o seu ginásio com os jesuítas e depois a Escola de comércio e serviu para a FEBEM, no tempo da revolução de 1964 quando o Governador Magalhães Pinto nos pediu. Em 1996, o arcebispado pelo seu arcebispo Dom José D’Angelo Neto entendeu e permitiu que a Paróquia e o Educandário Santa-Ritense fizessem a doação daquele grande patrimônio ao Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL) vendo o seu grande futuro para Santa Rita e para o Brasil. Foi assinado um termo de doação pelo Pe. José Carneiro Pinto e Prof. Fredmarck Gonçalves Leão pela Congregação do INATEL, dando em compensação Cr$ 50.000,00 conforme documento datado de 29 de setembro de 1966, em poder do Padre José. Esta importância foi aplicada na construção da Escola de Comércio. Ainda com a colaboração de D. Sinhá Moreira a paróquia pelo Pé. José comprou as ações da Escola de Comércio que veio a funcionar na Escola de Fátima, à noite.

Faculdade de Administração de Empresas
Já criado o “Educandário Santa-Ritense” com 20 membros de pessoas gradas da Sociedade, Pé. José foi eleito seu 1° presidente. Nasceu a ideia da “Faculdade de Administração de Empresas”, FAI, hoje FAI Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação, em conversa entre Padre José, Professor Francisco Magalhães e Professor Antônio Teixeira dos Santos. O conselho acolheu a ideia e delegou poderes ao Padre José, Prof. Francisco Magalhães e Prof. Antônio Teixeira dos Santos para estudar o assunto. O trio fundador foi buscar orientação na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, que não só apoiou, mas forneceu dados para toda documentação de um estatuto, prometendo professores para seu inicio. A semente germinou, cresceu e hoje esta “Grande árvore”, a FAI. Teve seus diretores: Francisco Ribeiro de Magalhães, Pe. Ramon Villar Paisal, Dr. Paulo Capistrano de Alckmin, Prof. Benedito Márcio Barbosa Magalhães, Prof. José Cláudio Pereira, Prof. Aldo Ambrósio Morelli e Prof. Alexandre Franco de Magalhães.
E assim a “Fundação Educandário Santa-Ritense” com orgulho Padre José à frente de sua gestão, bem como os Párocos Pe. José Setembrino de Melo, Pe. Vonilton Augusto Ferreira. Hoje a FAI conta com os cursos: Administração, Ciências Contábeis, Engenharia de Produção, Pedagogia e Sistemas de Informação. A Fundação, também mantenedora do Colégio Tecnológico Dr. Delfim Moreira, oferece à sociedade maternal, educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e cursos profissionalizantes de Contabilidade, Informática e Enfermagem.

Construções
A Igreja Matriz foi totalmente reconstruída desde a base até a estrutura. Era para ser construída a nova matriz. Feita a planta, foi posta em votação. Padre José convidou por escrito representantes de 325 famílias. Só compareceram 80 representantes e poucos votaram a favor. Até a comissão foi contra uma nova construção. Dirigiam a reunião o então Padre José Carlos de Lima Vaz e o Prefeito Dr. Antônio Teixeira dos Santos. Está tudo documentado. O madeiramento da Igreja era precário e exigia segurança. O telhado em péssima situação, perigoso mesmo! Então foi preciso desmanchar tudo, conservando somente a torre e as paredes. Até trator foi empregado para remover todos os destroços. Tivemos um mutirão de trabalhadores. Ficou novinha em folha e muito bonita. Tivemos Dr. Rafael Abatte, engenheiro de renome, e o artista Sr. Artigas. As Festas foram rendosas e generosas. Padre José teve o auxílio imediato dos Srs. Huet Azevedo Moreira, Capitão Reginaldo Lemos, Padre José Carlos de Lima Vaz e Padre Raul Laranjeira de Mendonça SJ, cabendo-lhes muitos agradecimentos e bênçãos da Padroeira Santa Rita. Foi feita a reforma completa da Casa Paroquial, da Escola Nossa Senhora de Fátima e a construção do Centro Pastoral de São Benedito. Por último, devemos ao Padre José a construção da Igreja Nossa Senhora de Fátima, hoje Paróquia, igreja de São Sebastião, Igreja de São José Operário e Igreja Santa Luzia e Santana e muitas capelas rurais.

Clube de Mães
Com Dona Clélia Capistrano de Alckmin, Padre José Carneiro deu todo apoio e ajudou na construção de uma creche situada à Praça Capitão João Antônio Dias. Mais tarde, o Sr. José Palma Rennó e a Sra. Maria José Carvalho Rennó, construíram a nova sede da creche Santa Rita. Confiada às Irmãs de Campos do Jordão, atualmente é comandada por uma diretoria, tendo como diretora D. Terezinha Cardoso. Monsenhor José Carneiro participa como conselheiro espiritual.

Obras de assistência social da paróquia
Outra obra social de muita importância foi fundada para assistência aos necessitados socorrendo com alimentação, casas e saúde. Padre José Carneiro foi o diretor tendo a participação de uma atuante diretoria: D. Antonieta Cunha Sampaio, D. Maria Conceição Rennó Moreira e Srta. Estella Garcia. Esta obra teve sua glória com a construção de duzentas casas populares nos bairros Novo Horizonte e Juquita, que foram vendidas a preço simbólico, com mensalidades que hoje equivaleriam a R$ 5,00 ou R$ 10,00. Padre José entregou à diretoria a Festa dos Reizinhos do Natal. Todo Natal, eram escolhidos meninos e meninas de pais que promoviam a Festa dos Reizinhos para manter a obra. No final, várias casas foram entregues à Sociedade São Vicente de Paulo.

Rádio
Padre José Carneiro iniciou as transmissões religiosas pela rádio. Tendo a Paróquia recebido algumas ações da rádio Difusora, que havia sido fundada pelo Sr. Rui Brandão, iniciou-se a transmissão de um programa todos os domingos entre 11h30 e 12h. Também era transmitida, aos domingos, a missa das crianças, a partir das 8h45, e “A Hora do Angelus”, às 18h. Até hoje estes programas são transmitidos.

Centro Pastoral Dom João Bergese
E, por fim, com as bênçãos e o apoio do Sr. Arcebispo Dom João Bergese, Padre José adquiriu, por Cr$ 600.000,00, o prédio onde hoje está o Centro Pastoral Dom João Bergese, com a aprovação de boa parte da população e desaprovação de outra parte, até com calúnias. Mas a posteridade e o futuro é que irão dizer o seu valor. O término da obra coube a Padre José Setembrino de Melo e Padre Vonilton Augusto Ferreira.

Atividades Pastorais
De acordo com as determinações da CNBB e orientações da Arquidiocese, Padre José organizou todas as pastorais, com bons coordenadores, e mais os movimentos, dando um grande impulso na formação de agentes pastorais. A Paróquia de Santa Rita teve seu crescimento quando mil casais participaram dos encontros de casais da Arquidiocese, dirigido por Padre João Bosco Oliveira de Faria, hoje Bispo de Patos de Minas, e depois entregue ao Padre Raul Laranjeira de Mendonça SJ, e suas equipes. E 300 casais participaram do Cursilho da Cristandade. Padre José dividiu a cidade em 12 comunidades urbanas e 32 rurais. Os grupos de casais visitaram e orientaram por muitos anos essas comunidades. Por ocasião das Bodas de Ouro sacerdotais de Padre José, em 8 de dezembro de 1996, foram contados nos livros de batizados e casamentos administrados por ele desde agosto de 1953, 30.500 batizados e 7.250 casamentos. Padre José teve a cooperação grandiosa dos Revmos. Cônego Adolfo Carneiro, Padre José Furusawa SJ, Padre José Carlos de Lima Vaz SJ, e demais jesuítas: Padre Adilson Grilo Magalhães, Padre Jesus Benedicto dos Santos, Padre Samuel Henrique Pereira Lima Soares, Padre Braz Antônio da Fonseca. Em fins de semana: Padre Edson José Oriollo dos Santos, Monsenhor Benedito Marcílio Magalhães, Padre Otávio Oliveira Rocha e, por três meses, Padre Arquimedes Carvalho Andrade.

Jubileu de Diamante Sacerdotal
Dia 8 de dezembro de 2006, Monsenhor José celebrou seu jubileu, 60 anos de seu sacerdócio, de total dedicação ao serviço da Igreja. Houve um tríduo preparatório com celebração e pregação de vários bispos. Dia 5/12, Dom Antônio Carlos Félix, Bispo de Luz (MG); 6/12, Dom José Francisco Rezende Dias, Bispo de Duque de Caxias (RJ); 7/12, Dom José Carlos de Lima Vaz, Bispo Emérito de Petrópolis (RJ); 8/12, missa festiva concelebrada por Monsenhor José Carneiro, com a palavra brilhante do Pároco Cônego Vonilton Augusto Ferreira. Dia 11/12, missa solene presidida pelo Arcebispo de Pouso Alegre Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, concelebrada por quase todos os sacerdotes da Arquidiocese. Houve uma exposição belíssima da vida do Monsenhor e um jantar de homenagem. Esta é uma pequena síntese do Paroquiato do Padre José Carneiro Pinto, que tudo fez com amor, carinho e sacrifício, para glória de Deus e o bem de seus paroquianos. Por Rodrigo Paiva Mendes

Meu amigo Padre José!
Transcrito do Livro de Dom José de Lima Vaz

Estou apresentando uma crônica que fiz em 1993, quando Padre José recebeu o título de Monsenhor. Nele procurei destacar várias facetas de sua personalidade e de seu trabalho pastoral. Agora, depois de muito pensar, penso ter descoberto o traço distintivo desta personalidade. Ele pode ser resumido numa palavra: amizade ou o amor dirigido ao Deus que o empolgou na juventude, um amor que se desdobrou no amor a tantos que o próprio Deus foi colocando ao longo de sua vida, nos seus caminhos de sacerdote.
Isto me ocorreu quando lia a Palavra de Deus na Carta de São Paulo aos Romanos, Capítulo 12. Ali encontrei a exortação final do Apóstolo aos cristãos da comunidade de Roma (RM 12, 8-18). Transcrevo alguns trechos mais expressivos: “Que vosso amor seja sem fingimento, detestando o mal e apegados ao bem; com amor fraterno, tendo carinho uns para com os outros, cada um considerando o outro como mais digno de estima… Abençoai os que vos perseguem; abençoa e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram. Tende a mesma estima uns pelos outros, sem pretensões de grandeza mas sentindo-vos solidários com os mais humildes… A ninguém pagueis o mal; seja vossa preocupação fazer o bem para todos os homens, procurando, se possível viver em paz com todos, no que de vós depende”. Ao ler essas linhas da Palavra de Deus, parece-me estar lendo a biografia sintetizada do meu amigo Padre José. Tive sempre prova de sua amizade sincera que se mantém fiel há tantos anos desmentindo o provérbio: “Longe dos olhos, longe do coração”. É uma amizade que ele conserva com todos seus velhos companheiros e cultiva com alegria na convivência fraterna rios momentos de encontro que lhe permite o trabalho sacerdotal. Convivi com ele momentos difíceis, mas nunca ouvi palavra que revelasse rancor ou desestima pelos que o faziam sofrer. Ou permanecia calado ou os desculpava com simplicidade e grandeza de coração. No trato com o povo sempre o vi sintonizado com as alegrias e sofrimentos dos seus paroquianos, em especial com os humildes, os pequenos das comunidades da roça onde ele deixava extravasar seu coração de pastor. Assim, com simplicidade e naturalidade deixou em mãos mais jovens a direção de sua querida Paróquia, colocando-se discretamente como um auxiliar do Pároco recém-chegado, acolhendo com simplicidade suas orientações e o novo estilo de direção pastoral. Tudo isso foi com uma alegria que revela a grandeza de seu coração e a humildade de seu espírito. Qual o segredo desta maneira de ser e viver do Padre José? Não sei. Mas posso pressentir que ela nasce da sua vida interior, do contato com este Jesus que o chamou para segui-lo e comunicou-lhe o Espírito prometido cuja presença se revela “no amor, na alegria, na paz “(GI 5,22)”. Nasce do amor filial à virgem Maria, em quem Deus fez maravilhas porque “Olhou a humildade de sua serva” (Lc 1,48). Nasce a devoção carinhosa a nossa doce Padroeira, Santa Rita, cujo testemunho de vida não deixa de se refletir em seus fiéis devotos. Assim, parece-me ser o Padre José. Se alguém duvida é porque não o conhece ou porque não percebe o que há dentro de sua figura humilde e discreta. Verá que eu tenho razão.

Ao Monsenhor José Carneiro Pinto, aplica-se a frase: “Feliz é aquele que dedica a vida a conduzir o seu povo nos caminhos de Deus”.

Diante do exposto, na qualidade de vereadores, requeremos que seja submetida à aprovação do Plenário a presente Moção de Congratulações ao Monsenhor José Carneiro Pinto, em comemoração ao seu aniversário natalício, que ocorrerá no próximo dia 20 de outubro, quando este nosso querido amigo completará 99 anos de vida, sendo grande parte dedicados ao nosso povo e pelos relevantes serviços prestados a nossa cidade à frente da Paróquia de Santa Rita de Cássia, para que passe a expressar o pensamento da Câmara Municipal de Santa Rita do Sapucaí.

Sala de Reuniões da Câmara Municipal, 19 de outubro de 2020.

Assinada por todos os vereadores, vereadoras e pelo prefeito municipal.

Esse post foi publicado em Cidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s