Acadêmico toma posse e jornal é homenageado na Academia de Letras

A Alca – Academia de Letras, Ciências e Artes de Santa Rita do Sapucaí deu posse a um novo acadêmico e prestou homenagem a um jornal que circulou em Santa Rita na virada do século XXI. A primeira sessão solene da Academia em 2019 aconteceu no sábado passado (27 de abril) no Auditório Aureliano Chaves – Inatel. Além de vários acadêmicos, compareceram convidados e autoridades, além dos familiares e amigos do novo acadêmico. João Batista de Azevedo Jr. é o mais novo integrante do quadro de membros efetivos da Alca. O jornal Minas do Sul, por ocasião dos 20 anos de sua primeira edição, foi homenageado na sessão.

O presidente da Alca, acadêmico José Antônio Justino Ribeiro, abriu os trabalhos da sessão. Em seu discurso, enalteceu as virtudes do engenheiro de telecomunicações, professor e escritor João Batista. Lembrou-se do tempo em que este era aluno do Inatel, “um dos mais brilhantes”, que era e ainda é referência para muitos estudantes e professores. Justino Ribeiro também citou a assiduidade de João Batista nos eventos da Academia. Já há alguns anos, disse o presidente, o novo acadêmico vem participando das solenidades entre outros eventos da Alca como o “Cinema Alca” e o “Painel de Literatura”.

Discurso emocionado
O nome do novo confrade foi formalmente apresentado pelos acadêmicos Nídia Sancho Telles Rodrigues e Mauro Cunha Azevedo Neto. Na solenidade, foi o próprio Mauro que fez a apresentação e deu as boas vindas a João Batista. Emocionado, Mauro Cunha citou um trecho de um dos livros do acadêmico empossado, seu amigo e agora colega de confraria. Em seguida, João Batista de Azevedo Jr. fez o juramento da Academia, recebeu a insígnia e diploma da Alca, este último entregue pelo presidente Justino Ribeiro.

Em seu discurso de posse, o novo confrade fez uma homenagem ao patrono da cadeira 29 que agora ocupa, o professor e jurista Leopoldo de Luna. Também homenageou o acadêmico que ocupava a mesma cadeira até fevereiro antes de falecer, o dramaturgo e jornalista Waldir de Luna Carneiro.

 “Fui desde a juventude interessado pelas letras, apaixonado pela ciência e encantado pelas artes. Há muitos anos venho acompanhando o trabalho da Alca, e considero um privilégio e uma honra passar a integrar os seus quadros. […] Não posso deixar de mencionar o fato de que meu saudoso pai, João Batista de Azevedo, participou da fundação da Academia em 1985. E soube que o patrono da cadeira 26, hoje ocupada pelo acadêmico José Geraldo de Souza, é o professor Samuel Bruce, meu padrinho de batismo”, discursou João batista.

Contrastes destacados
Na segunda parte da sessão solene, a Alca prestou homenagem ao jornal Minas do Sul, que teve sua primeira edição publicada em 16 de abril de 1999. O jornal circulou por seis anos, encerrando suas atividades em meados de 2005. O acadêmico Evandro Carvalho, que foi repórter do jornal, fez uma explanação traçando um paralelo da experiência do jornal com as experiências dos jornais de hoje, influenciadas pela internet. Carvalho também falou sobre a proposta do jornal em destacar contrastes com discurso polêmico, mas sofisticado. “Os jornais precisam encontrar histórias interessantes para convertê-las em notícias. Revelar em seu noticiário as contradições do nosso tempo. O Minas do Sul fez isso com comprovada competência; e com alguns exageros, o que faz parte da expressão. Quem depende da expressão está sujeito a isso”, disse o acadêmico.

O fundador e diretor do jornal, o também acadêmico Ronaldo Carvalho, fez um discurso sobre a experiência de criar um jornal e da homenagem em batizá-lo de “Minas do Sul” referência a um periódico homônimo que circulou na região nos primeiros anos do século XX e que defendia um movimento separatista do sul de Minas do restante do Estado. Ronaldo também aproveitou a ocasião para homenagear outros jornais santa-ritenses, em especial “O Correio do Sul” – do acadêmico Ivo de Carvalho, o “Empório de Notícias” – do publicitário e escritor Carlos Romero, e este O Vale da Eletrônica – fundado pelo acadêmico Rubens de Carvalho (já falecido) e dirigido pelo também acadêmico Ely Kallás (também já falecido). Ao final de seu discurso, Ronaldo Carvalho recebeu das mãos do presidente da Alca um quadro lembrando a homenagem e a data.

Texto e foto: Evandro Carvalho, acadêmico e jornalista

Anúncios
Esse post foi publicado em Cidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s