Denúncia afirma que estudantes tiveram tempo extra no Enem em MG

Candidatos teriam sido beneficiados com 1h a mais para fazer as provas.
Caso teria acontecido em escola de Santa Rita do Sapucaí

Pais de candidatos que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) denunciaram uma suposta irregularidade na aplicação das provas em Santa Rita do Sapucaí. Segundo eles, alguns estudantes foram beneficiados com uma hora a mais para fazer a prova, em uma das escolas em que o exame foi realizado na cidade, desobedecendo o que era determinado pelo Ministério da Educação.

As denúncias são dos testes aplicados na Escola Estadual Dr. Luiz Pinto de Almeida, onde a direção informou que apenas cede o espaço para a realização das provas, mas não se responsabiliza pela organização.

 A estudante Letícia Brasil Carli Azevedo conta que, antes de começar o Enem, ficou sabendo que teria tempo extra para resolver as questões. “Antes deles entregarem as provas pra gente, os aplicadores falaram que tinha uma mudança no edital do Enem, e que a gente tinha direito a uma hora a mais. Só que essa hora tinha que ser requisitada antes do início da prova”, disse.

Ela conta ainda que extrapolou 20 minutos no primeiro dia e 60 no segundo, e que o tempo extra também foi oferecido para outros colegas. “Outros falaram que tiveram essa opção, que o aplicador falou que tinha essa opção, mas ninguém optou por ela”.

O edital do Enem diz, no entanto, que o participante tem que declarar, no ato da inscrição, ser pessoa com deficiência ou ter outra condição especial, para solicitar o tempo adicional, de até 60 minutos, em cada dia de realização do exame.

Quando soube do que aconteceu, a tia de Letícia, Andréa Brasil Carli, chegou a orientar as filhas a pedir o tempo a mais para fazer a prova. “Eu só fiquei sabendo, quando elas chegaram em casa, que na escola em que elas fizeram a prova, essa uma hora era apenas para quem tinha necessidades especiais. O que é verdade, o edital fala que a pessoa que tem necessidades especiais tem direito a uma hora a mais”, explicou.

Nas redes sociais, uma outra candidata confirmou que a hora foi oferecida. “Na sala que eu fiz, foi concedido normalmente para os que pediram, e os fiscais disseram que era direito de todos”.

Nas redes sociais, estudantes discutiram sobre a hora a mais oferecida no Enem (Foto: Reprodução EPTV)

Nas redes sociais, estudantes discutiram sobre a hora a mais oferecida no Enem (Foto: Reprodução EPTV)

No entanto, outro estudante questionou o ocorrido. “Já sabemos que é um direito para os portadores de necessidades, isso é totalmente justo. A questão a ser discutida é o porque as pessoas que não portam deficiência tiveram essa hora a mais”.

Alguns candidatos chegaram a fazer denúncias sobre o problema direto para o MEC, mas até a publicação desta reportagem, o ministério não havia se manifestado sobre o caso.

Já o Inep informou que todas as reclamações registradas pelos participantes são verificadas, que o primeiro passos é checar a ata produzida pelo coordenador do local de prova e que, a partir daí, os organizadores decidem o melhor procedimento para cada caso.

G1 Sul de Minasvolt ofere

Esse post foi publicado em Cidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s