Intolerância, incoerência, Aécio x Dilma… Vamos falar de política?

VALE ELEIÇÕES 2014 B

ric“Pessoal, não estou defendendo e muito menos condenando qualquer dos lados nesta disputa eleitoral. Não posto minhas preferências políticas nas redes sociais, justamente pra evitar discussões desnecessárias. Deixei pra escrever isso, já na iminência do segundo turno, após um exame detalhado dos posts alheios. Fiquei chateado com a intolerância de algumas pessoas, não suportando a diferença de opiniões. Acho que essa foi a pior parte dessas eleições. A segunda pior parte foi a incoerência. Notei que existem muitos “cientistas políticos midiáticos” em plena atividade “facebookeana”. (E me incluo) Vou explicar: alguns não se recordam, outros não viveram acontecimentos marcantes na história política brasileira, não leram a respeito, mas simplesmente compartilham posts sem a mínima noção do que estão copiando. E quando você comenta algo, ao invés da réplica, vão no Google.com e postam novamente uma reportagem sobre o assunto. Vi um homossexual (nada contra homossexuais, pelo amor de Deus!!!), mas vi um amigo homo defendendo a ditadura militar, sem saber que os homossexuais foram duramente perseguidos durante aquele regime. Vi um negro defendendo com unhas e dentes o senhor Marcos Feliciano, sem sequer imaginar que o pastor é racista exponencial. Vi pessoas defendendo a meritocracia, mas fazendo faculdade, beneficiadas por programas sociais do governo. Vi paulistanos chamando nordestinos de burros, mas elegendo o Tiririca. Vi pessoas compartilhando a música “Pra não dizer que não falei das flores”, e ao mesmo tempo defendendo Jair Bolsonaro. Vi pessoas esclarecidas defendendo candidatos apoiados por Edir Macedo e Silas Malafaia, que se odeiam e só anseiam poder.

ric1 Com relação à Dilma x Aécio, devo argumentar que não tenho nada pessoal contra eles. Vou falar, ou melhor, escrever aqui o que penso sobre PSDB e PT. Com relação ao PSDB, ainda não esqueci dos duros tempos de juros elevados, inexistência de financiamento habitacional, fome e pobreza crescentes, descomunal desemprego, sucateamento das universidades federais, venda das estatais a preço de dadinho, dependência humilhante do FMI, salário mínimo indigno e miserável, enorme concentração de renda, congelamento de salários do funcionalismo público, apagão elétrico, etc… Lembram de quando não podíamos comprar mais que uma lata de óleo no supermercado, pois o dono não deixava? Lembram quando não podíamos estudar, pois não existia bolsa? Lembram de quando o feijão ficou mais caro que a carne? Sobre o PT, também não vou engolir essa história de mensalão e muito menos esse escândalo da Petrobrás. Como esquecer Zé Dirceu e Delúbio Soares? Impossível.

Sobre os debates, sério mesmo, mais parecia pugilismo. Aécio falando da corrupção petista e Dilma insinuando que ele é alcoólatra e viciado em drogas. Isso somou o que nas nossas convicções? Sejamos sinceros. Nada! Deixei de me valer de debates pra escolher meu candidato depois que o Collor – com a ajuda da Globo – deu um baile no Lula e fez o que fez quando se elegeu.

Bom, já escolhi entre Dilma e Aécio e meus amigos mais próximos já sabem qual é minha escolha. Não votarei em branco, muito menos anularei meu voto, pois lutamos muito pela democracia e pelo direito de exercer nossas opiniões.

Democracia é isso mesmo, gente! Um irá vencer; outro perder. A maioria irá decidir. Isso é que é bonito. Lutamos tanto pra essa festa existir. Não encarem essas eleições como se fosse a briga entre o bem e o mal. Se for assim, como não levo jeito pra mocinho e muito menos pra bandido, podem me considerar simplesmente “o hipócrita.” Aécio e Dilma nem sabem que nós existimos. Não percamos nossas amizades por eles. Nossos amigos são muito mais importantes que nossos candidatos. Independente de quem vencer, vamos respeitar a opinião alheia e, quando soubermos o resultado, vamos todos torcer pro vencedor fazer um grande governo, pois nós somos os mais interessados.

Agora, a saída triunfal: entre Dilma e Aécio, eu escolho todos vocês. Eu escolho o Brasil! “

Ricardo Gomes Cruz

Sobre Giácomo Costanti

Email: contato@valeindependente.com.br
Esse post foi publicado em Eleições 2014. Bookmark o link permanente.

11 respostas para Intolerância, incoerência, Aécio x Dilma… Vamos falar de política?

  1. Claudinei Fernandes de Souza disse:

    Meu amigo Baiano.
    Li com atenção sua explanação. Concordo com sua teoria, mas discordo da sua parcialidade, vejamos: Vc diz que viu negro defendendo o Feliciano, paulistano chamando nordestino de burro, etc…., mas vc se esquece de dizer que viu o Collor massacrar o Lula e hoje andam de braços dados, vc viu (só para dar um exemplo).
    Vc relata os tempos difíceis durante o governo FHC, mas se esquece di analisar de como estava a situação do Brasil em 1994/1995, com uma inflação de mais de 900%. Vc se esquece se dizer que graças as privatizações hoje temos uma telefonia de qualidade (que poderia estar bem melhor se o governo petista não tivesse acabado com as agências reguladoras). Vc se esquece de dizer que tb graças as privatizações do tipo o Brasil passou a receber impostos e deixou de ter que por dinheiros nas empresas privatizadas, que eram na verdade um cabide de emprego, que gerava prejuízos etc…Vc se esqueceu de mencionar tb a responsabilidade fiscal, que hoje esse governo petista que acabar, pois assim as prefeituras, governos estaduais, podem gastar ou roubar como quiser.
    Longe de mim em querer perder uma amizade por causa de política, mas como vc mesmo diz, SEJAMOS IMPARCIAIS e comparemos as situações, épocas, de cada governo.
    Só para para saber, os militares tiveram grande participação no crescimento brasileiro, pois na época estava uma bagunça geral, e quer queira ou não, puseram ordem na casa.
    Um abraço, e VIVA A DEMOCRÁCIA.

    sds

    Claudinei F.de Souza

  2. Marcos disse:

    Amigo texto muito bem escrito mais não gostei da sua parcialidade Petista…….Abraço
    .

  3. Ricardo disse:

    Meus amigos Claudinei e Marcos, valendo-me de eufemismo, acham mesmo que eu possa, tacitamente e sutilmente, ter sido parcial? Isso é uma blasfêmia! Eu jamais faria algo do tipo. Obrigado pelos comentários! Forte abraço! Viva a democracia!

  4. Ricardo disse:

    Agora, falando sério, meu caro Claudinei e meu caro Dr. Marcos (vulgo “Quinho”), sou apartidário. Vocês sabem disso. Lógico que tenho minha preferência política, mas procurei ser parcial. Talvez não tenha conseguido. Digamos que eu ainda esteja engatinhando na arte de escrever. Quem sabe um dia eu chegue aos pés de Yago Junho, Evandro Carvalho e Carlos Romero. Realmente, Fernando Collor apoiando o partido do Lula é um tiro no pé. Sobre o governo FHC, nos primeiros quatro anos, ele enfrentou uma grave crise e realmente teve seus méritos ao recolocar o país nos trilhos novamente. No segundo mandato, ele deixou a desejar. Convenhamos. Os sociólogos não o levam a sério, mas acho que um pouco é dor de cotovelo; assim como os poetas menosprezavam Vinicius, taxando-o de “poetinha” por dedicar-se também à MPB, que consideravam ser uma arte menor. Estavam enganados. Quanto às privatizações, o meu descontentamento foi apenas pelo “preço de banana”. No mais, acabou trazendo resultado sim. Não acho que os militares colocaram “ordem na casa”. Generais não costumam entender muito de educação, Agricultura, Justiça, Comunicações, Previdência Social… Talvez pudessem, com mais tempo, minimizar o problema da Segurança Pública. Talvez. Pelo jeito, são vocês que estão sendo parciais. “Aecistas”! (risos…) A alternância de poder é saudável sim, e é um bom álibi esse que vocês usam. Tem nexo. Mas o meu texto não foi pra fazer campanha não. Na verdade, a ideia é que as pessoas não enxerguem as eleições como a briga entre o bem e o mal. Democracia é isso mesmo: um ganha, outro perde. E é justamente isso que é bonito. No mais, independente de quem vencer, estaremos todos no mesmo barco. Agradeço, de coração, o carinho de vocês por comentarem o meu texto. Um beijo no coração!

  5. Mauricio de Souza disse:

    Legal é bom saber que algumas pessoas reparam na incoerência do Brasileiro.
    Aécio é um machista, Se dirige aos trabalhadores brasileiros ( homens) e as donas de casa, ignorando que grande parte do mercado de trabalho atual é formado por mulheres. Sem dizer que é um playboy que vive da sombra de seu avô. Burrice será ver mulheres votando em um candidato que está fazendo pouco caso com relação a ´saúde feminina e que vê a violência contra a mulher como algo normal. Apoiado pelo pastor Malafaia, diga-se de passagem.
    Eu particularmente não voto em playboy e nem em quem é contra as mulheres e faz pouco caso da violência contra elas e não reconhece a força feminina no mercado de trabalho.
    Mas o brasileiro é incoerente e mal informado por preguiça ou por cabresto. Faz seu voto ( para agradar seu pastor ou patrão) e não duvido nada que um dia aqui no Brasil apareçam negros participando e levantando bandeiras em apoio a Ku Klux Klan.
    O brasileiro vai na onda, não pensa, e ainda se acha o máximo.

  6. Ricardo disse:

    To falando que ainda estou engatinhando. Sou um péssimo escritor. Olhem …”realmente teve seus méritos ao recolocar o país nos trilhos novamente”. Um pleonasmo terrível!

  7. Aranha disse:

    (Ironic mode on)
    Essa guerra entre os candidatos ajuda a demonstrar para a população que eles “desejam”, do fundo de suas “almas”, consertar o Brasil… Todo político almeja isso…
    Para tanto eles investem milhões de reais em campanhas, muitos investem de seu próprio bolso, com o único objetivo de ver os brasileiros felizes com seus salários, empregos, saúde, educação e o que mais for possível.
    É tamanha bondade em suas almas que até sinto pena dos ataques sofridos durante os debates.
    (Ironic mode off)

    Acredito cegamente que político bom não vence eleição!

  8. pareabéns amigo !!!! sou 13

  9. Santos disse:

    Não acredito que tem gente que acha que o país vai bem…

    Não lembro de quando faltou tanto pra acabar o mês. Não lembro de tanta inflação. Tanta sujeira, tanto desvio, tanto “não sei de nada”, tanta ajuda aos países vizinhos enquanto nós nos acabamos aqui sem falta de estrutura, de recurso…

    Tem gente que vive em outro planeta. E infelizmente não sou eu!!!

    Talvez se eu enxergasse uma realidade tão distorcida fosse mais feliz…

  10. giovani disse:

    Quando assisto aos debates chego a conclusão que os dois são bons, e que os dois não prestam!

  11. Ricardo disse:

    Acho que estamos brigando pelo executivo, sendo que o coringa do baralho está no legislativo. Não deveríamos enxergar Dilma x Aécio e sim nos perguntar se o Brasil não precisa mais do Estado de bem estar e se realmente necessita abraçar o neoliberalismo. Será? Eis a questão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s