Amigos do Hospital Antônio Moreira da Costa – Carta Aberta à população

Santa Rita do Sapucaí, 20 de agosto de 2013.
Queremos nos dirigir à Prefeitura Municipal de Santa Rita do Sapucaí e, em especial, à sua Secretaria de Saúde.
Vimos, aqui, nos manifestar sobre um equívoco que está ocorrendo na gestão pública neste momento, no que diz respeito ao Hospital Antônio Moreira da Costa.
Assinam este documento os voluntários coordenadores da Campanha “Seja um Amigo do Hospital”.
A carta aberta à população emitida pela secretaria de saúde de sua administração é um equívoco de grandes proporções. Primeiro, porque fala de receitas do Hospital Antônio Moreira da Costa (HAMC) sem, em nenhum momento, falar de suas despesas, segundo, porque nem a Secretaria nem a Prefeitura deveriam tentar interferir na gestão de uma Fundação e, muito menos, contribuir para que críticas infundadas sejam levantadas contra o trabalho feito pela Fundação Santa-ritense de Saúde e Assistência Social mantenedora do HAMC. E por último, e muito mais grave, porque deixa a entender que o HAMC não está sendo bem administrado.
Queremos ponderar algumas coisas sobre a Fundação do HAMC:
PRIMEIRO
No total, no ano passado, o HAMC obteve receitas de aproximadamente R$5milhões. Só que o Nosso Hospital tem mais de cem funcionários em regime CLT, além dos profissionais contratados/terceirizados, onde se incluem por exemplo os médicos. Perguntamos: qual organização os senhores conhecem que tem cem funcionários e fatura apenas R$400mil por mês? Qualquer empresa do Vale da Eletrônica, e de qualquer outro local, que possua cem funcionários, fatura, no mínimo, o dobro disso. Este é apenas um parâmetro de comparação, dentre outros que poderiam ser apresentados, para esclarecer o quão é maléfico e prejudicial apresentar dados e informações incompletas para as pessoas tirarem conclusões. Vale ainda registrar que o HAMC não gasta só com funcionários. Tem-se médicos, plantões noturnos que remetem aos custos com adicionais noturnos, medicamentos, manutenção de cozinha especial e de todos os equipamentos eletromédicos do hospital, necessidade de esterilização e do tratamento adequado do lixo hospitalar, lavanderia especializada e tantos outros gastos que fazem com que as receitas mencionadas naquela correspondência sejam insuficientes para cobrir as despesas.
SEGUNDO
O problema só não é maior porque as pessoas que dirigem a Fundação são voluntárias – nenhuma delas recebe um único centavo para dar seu tempo ao hospital e ao Pronto Atendimento, pelo contrário, além do tempo que cada vez é demandado de cada um, como não poderia ser diferente, são todos contribuidores financeiros com o carnê de colaboração do hospital, assim como parte da população o é. Deixam suas atividades profissionais, suas famílias, suas horas de lazer e de descanso para se dedicar a uma causa. Isto mesmo…. uma causa, porque se a avaliação do HAMC fosse feita somente a partir da ótica de um negócio, da análise financeira (como discorre a correspondência assinada pela Secretaria de Saúde), é certo que a conclusão desta análise seria para o encaminhamento do fechamento do hospital.
TERCEIRO
O HAMC não consegue reter médicos, é verdade, e é por isso que a Fundação e um “batalhão” de voluntários estão empreendendo esforços em uma campanha (“Seja um Amigo do Hospital”) para buscar seu equilíbrio, reter médicos, reter outros profissionais de saúde qualificados e qualificar melhor aqueles que ainda não estão adequadamente qualificados. Tudo isto para prestar um atendimento de qualidade aos cidadãos. Aqui, fazemos um parêntese para dar um conselho a todo cidadão de bem de Santa Rita do Sapucaí: Contribua com o Carnê de Colaboração, seja um amigo do hospital. O HAMC precisa e o cidadão santa-ritense merece. Procure saber mais a respeito, seja na sede do carnê, seja com um dos vários voluntários.
QUARTO
Todo cidadão de Santa Rita do Sapucaí e de qualquer outro lugar precisa entender o seguinte: o Hospital – HAMC é uma coisa e o Pronto Atendimento é outra. Como o próprio nome diz: o Pronto Atendimento Municipal – PAM é uma unidade/operação de responsabilidade da Prefeitura, uma obrigação da Prefeitura. No entanto, como bem disse a Secretaria de Saúde em sua correspondência, a Prefeitura de Santa Rita do Sapucaí contrata a Fundação do HAMC para prestar o serviço de pronto atendimento para o município, o que é fato. Mas daí vem um dos problemas: o valor financeiro que a Prefeitura repassa para a Fundação para a sustentabilidade do PAM é menor do que os gastos desta operação. Ou seja, a Fundação, através de seus voluntários, está tendo que buscar fundos para cobrir despesas de um serviço que dá prejuízo para o HAMC, cuja obrigação de sua operação é do poder público municipal. Aqui fazemos outro parêntese, para sugerir ao Conselho de Administração, ao Conselho Curador e ao Conselho Fiscal da Fundação do hospital que rescindam o contrato com a Prefeitura, é preciso entregar o PAM de volta à Prefeitura; a Fundação Santa-ritense de Saúde e Assistência Social de Santa Rita do Sapucaí precisa focar seus esforços na condução do Hospital Antônio Moreira da Costa e deixar que o Pronto Atendimento seja coordenado e operado diretamente pela prefeitura. A Fundação está atuando em uma área que não é de sua obrigação; reforçamos, entreguem o PAM à Prefeitura.
Como homens e mulheres sérios e absolutamente comprometidos que vocês são, façam uma transição tranquila, cumpram fielmente os prazos estabelecidos em contrato para este tipo de rescisão. Pois é certo que a Prefeitura, através de sua secretaria de saúde, saberá o conduzir a partir dos recursos financeiros que passarão a ser administrados por ela própria.
E se apresentamos esta sugestão à Fundação, nos sentimos obrigados a dar uma sugestão similar à Secretaria de Saúde e à Prefeitura: faça uma pesquisa em outras cidades do mesmo porte que a nossa, que mantém um PAM com serviços de qualidade para a população, e verifiquem quanto as prefeituras destes municípios gastam com os serviços do PAM. E não se surpreendam se descobrirem que o valor que atualmente a prefeitura repassa à Fundação pelo serviço do PAM é menor, provavelmente bem menor, do que a Prefeitura gastaria se ela própria tivesse que prover estes serviços, contratar diretamente todos os profissionais, contratar médicos, garantir os plantões por 24 horas, a manutenção de todo o aparelhamento, custos com a manutenção predial, entre outros.
QUINTO
Por fim, um último item a considerar: as dificuldades que o HAMC passa tem uma origem – o baixíssimo valor repassado pelo SUS pelos atendimentos lá realizados. Apesar de todos os cidadãos brasileiros pagarem um rio de dinheiro em impostos, os governos (de modo especial, o governo federal) não cumprem sua função. Se deixarmos somente por conta do que o SUS paga pelos atendimentos, o hospital é totalmente inviável. O governo não faz a sua parte e a sociedade organizada, os voluntários, são, então, obrigados a se virarem para equilibrar as contas. É por isso que os hospitais filantrópicos do Brasil, de uma forma geral, são tão ruins. E ao encontrarmos voluntários como estes homens e mulheres que dirigem o Nosso Hospital, devemos a eles o nosso maior respeito, pois estão se sacrificando por um problema que é de todos nós. E aí um último pedido: Senhores membros do Conselho de Administração, do Conselho Curador e do Conselho Fiscal do HAMC, não desistam! Pedimos a Deus que nos mantenha unidos para vencer os desafios que todos os dias esta causa nos impõe. O Hospital Antônio Moreira da Costa muito já serviu à toda população desta cidade, principalmente à mais carente, e precisa continuar servindo, mais e melhor, o que será possível pela misericórdia e graça de DEUS.

Muito obrigado a todos!
Equipe Coordenadora da Campanha “Seja um Amigo do Hospital”Fernando Barbosa Mota, Ialdo Correia Costa, José Humberto Guersoni Resende, Rogério Abranches da Silva, Sidney Severini Júnior.

Sobre Giácomo Costanti

Email: contato@valeindependente.com.br
Esse post foi publicado em Cidade. Bookmark o link permanente.

31 respostas para Amigos do Hospital Antônio Moreira da Costa – Carta Aberta à população

  1. Florisvaldo Silva disse:

    Não faltou uma única vírgula justa neste texto. Quem duvidar, seja voluntário por um ou dois dias lá.

  2. André de Santa Rita Do Sapucaí disse:

    Olá … Boa tarde a todos :
    Peço que me digam se estou correto: O Hospital ( HAMC ) tem seus administradores ( Diretores ) que por sua vez administram o Pronto Atendimento Municipal ( PAM ) … que é uma unidade de operação de responsabilidade da Prefeitura, uma obrigação da Prefeitura. No entanto, como bem disse a carta acima, a Prefeitura de Santa Rita do Sapucaí contrata a Fundação do HAMC para prestar o serviço de pronto atendimento PAM, porém o valor financeiro que a Prefeitura repassa para os administradores do hospital é menor do que os gastos que os mesmos têm na operação do Pronto Atendimento . Correto até ai ???
    Agora Pergunto :
    Por isso que o descaso no pronto atendimento é grande com a população ???
    Por isso que não conseguem contratar pessoas capacitadas e educadas para atender o povo ???
    Por isso que somos tratados como idiotas na fila de espera por 2 horas simplesmente para medir uma pressão ???
    E mais :
    Porque somente agora resolveram enviar esta carta com tais informações ???
    Porque não procuraram os meios necessários para resolver isto antes ???
    Afinal , quem administra tem o direito e o dever de se impor quando as coisa não vão bem, mas com antecedência não é mesmo, não somente quando o barco está afundando !!!
    Aguardo respostas por favor !!!

    • Cornélio disse:

      Se Deus quiser, o sr. nunca vai precisar enfrentar a fila do pronto atendimento e nem sua família. Trabalhe dois como voluntario do hospital, e para de ficar no bar bebendo cachaça meu irmão!!! Eles não obrigam ninguém a ajudar, ajuda por livre e espontânea vontade. Se fosse o sr. que estivesse administrando o Hospital ou o pronto atendimento, já havia fechado a muito tempo seu fanfarão!!!!

      • Francisco de Santa Rita disse:

        Pessoa de uma ignorância tremenda! Uma mera pergunta gera o desequilibrio nos desequilibrados!

  3. Ricardo Vieira disse:

    E ai Prefeito?
    Vai encarar?
    O Pronto Atendimento vai voltar a ser gerido pela prefeitura. Ai sim quero ver se terá eficiência e quanto a prefeitura vai desembolsar para manutenção dos serviços.
    Nas últimas eleições o Jefinho teve 85% dos votos, na próxima com certeza terá menos de 15%.

  4. Antônio Francisco Silvério disse:

    Verdade nua e crua!! Parabéns a todos voluntários desta Instituição pelo belíssimo esclarecimento, incontestável a meu ver!!

    • Bené Barbosa disse:

      Você que é o fala muito que a turma comenta!!!! rs rs rs parece mesmo!!!!! abraços Fala muiiiiiiiiitttoooooooo , meus parabéns você me parece ser muito inteligente pois aborda todos os assuntos!!!! abraços.

      • Antônio Francisco Silvério disse:

        Me aparece cada figura!! Você é mais uma…..O ideal era falar isso pessoalmente para mim Bené…trabalho na Pedrão Imóveis!!
        Ainda bem que falo..pior é quem fica quieto e não fala nada..consente com as coisas….pessoas assim quero bem longe de mim!! Aproveitando, tá ajudando o hospital? Estou fazendo a minha parte com um carnezinho, pois além de falar muito, estou ajudando..fazendo a minha parte!! Se estiver ajudando parabéns para nós todos!!

    • André disse:

      Na minha opinião, esclareceu mas não justificou nada !!! A diretoria anterior Continua tendo parte no descaso com o Pronto Atendimento !!!

  5. Milton disse:

    Seria importante receber informações da Secretaria da saúde, em resposta as afirmações feita á semana passada neste mesmo veículo de informação, com os dados afirmados, inclusive com informações sobre participação valor de Prefeituras em Pronto Atendimento de cidades do nosso porte! eu gostaria de saber a resposta.

  6. Adilson Pereira Santos disse:

    Isso é conversa fiada. Papo de brasileiros, que so da desculpas. O problema do hospital e do PAM é de administracao sim, nao venha falar que sao coisas separadas nao. O Pronto Atendimento é gestao e administracao do hospital. Portanto, quem tem que solucionar o problema e a gestao do hospital. A prefeitura ja faz a parte dela, enviando o dinheiro.

    • Pedro Reis disse:

      Por favor nos esclareça quais são exatamente os problemas de administração identificados pelo senhor.
      Aponte para os Santa-Ritenses os erros administrativos cometidos nesses últimos anos e muito contribuirá para a solução dos atuais problemas do nosso hospital.
      O senhor como expert no assunto poderia oferecer sua contribuição (gratuita, é claro) para ajudar a atual diretoria.

    • Ricardo Vieira disse:

      Se vc acha que a prefeitura já faz a parte dela apenas enviando o dinheiro que apenas paga uma parte das despesas…
      Agora ela não vai mais necessitar enviar o dinheiro. Vai ter que aplicar este dinheiro ela mesma. Vamos ver se a prefeitura consegue fazer uma gestão mais eficiente.
      Para a alegria do povo Jefinho na gestão do Pronto Atendimento.
      hahahaha

    • Paula disse:

      Adilson Pereira Santos voce não sabe ler!

  7. G.G. disse:

    muito legal da parte de todos vcs, exeto dos empresarios que recebem isençao por 10 anos, são seu funcionarios quem mais usam esses serviços e parece que todos estão de braços cruzados.
    e a nossa prefeitura claro poderia dar essa isençao desde de que essa empresa(s) contribuisse com a saude do nosso municipio e funcionarios.
    ONDE ESTÃO AS 130 E POUCAS EMPRESAS (EMPRESARIOS) DE NOSSAS CIDADE?

  8. milton juvencio disse:

    cadê ?

  9. Ricardo Vieira disse:

    Uma analogia que podemos fazer é imaginar que os pais não necessitam cuidar da educação dos filhos desde que pague a metade da mensalidade na escola. Temos um prefeito populista que muito fala e pouco faz. O povo quer ver trabalho. Chega de promessas e desculpas que não tem dinheiro pq o Paulinho deixou dívidas. Se ao assumir a prefeitura encontrou um cenário diferente do que o que imaginava faça igual ao Papa Bento XI. Renuncia Jefinho. Não estamos mais no tempo que se amarrava cachorro com lingüiça.

    • Carlos Augusto Nogueira disse:

      Bom dia Ricardo,
      Com todo respeito neste assunto você fez 3 comentários, falou falou falou e eu não entendi nada, você gosta de agitar e falar, mais ajudar que é bom nada, deve ser moleque e ainda por cima com baixo nível intelectual, vai uma dica nas próximas eleições se candidata??? ” vamos ver como vai ser sua votação ” rs rs abraços menino!!!

  10. Antônio Francisco Silvério disse:

    Uma idéia para o prefeito Jefinho é trazer mais indústrias para Santa Rita mas, indústrias de grande porte e de outros seguimentos..com isso a arrecadação sobe, aumenta a verba para o PAM, não sobrecarregando o HAMC..e com isso a população poderia ficar um pouco mais aliviada, fui correto? É encarar os problemas de frente e não ficar se esquivando…MAIS INDÚSTRIAS PREFEITO!!!

  11. Cícero disse:

    Eu só queria entender uma coisa.
    Não estou aqui para defender ninguém, muito menos o Jefinho, que aliás nem votei nele.
    Mas quando você é contratado para prestar um serviço e te pagam o insuficiente para fazer o tal serviço. Você quebra o contrato ou põe a boca no trombone.
    Agora eu pergunto, porque será que mesmo o HAMC recebendo “BEM MENOS” dinheiro continua administrando o PAM?
    Porque que só agora que a bomba estourou que foi divulgado esse problema?
    Como disse antes, não estou defendendo ninguém, mas são algumas coisas que me intrigam.

  12. Lucas disse:

    Os administradores do hospital são vitimas como também é a população da politica do governo federal para a saúde. Não concordo em:
    – Crucificarmos os administradores;
    – Onerar a prefeitura com novas despesas para suprir uma despesa federal, limitando e inviabilizando a administração municipal e o consequente crescimento da cidade;
    – Criação de um novo “imposto” (Carnê) para ser uma fonte complementar de renda para a instituição sobrecaindo sobre a população supertaxada mais uma obrigação;
    Solução?
    Desvinculem o PAM do HAMC.
    Invistam no PAM e deixem o HAMC a deriva… Se desde 1994 (como afirmou Dr Eduardo) não houve ainda nenhuma melhora, se não houver uma mudança de cima para baixo não haverá solução. Já assistimos a novela Amivida e todas as suas consequencias. Basta!

  13. Isa disse:

    Gente realmente a carta da secretaria de saúde fala de receitas do Hospital Antônio Moreira da Costa (HAMC), REPASSADA PELA PREFEITURA E SUS, a secretaria de saúde não citou os atendimentos particulares, as cirurgias particulares, os partos e as cesarianas pois paguei um absurdo para ter meu filho e também tem os atendimentos dos convênios que são muitos, eu mesmo já tive no Pronto socorro e estava aguardando há 2 horas para ser atendido e chegou uma pessoa dirigindo seu carrão, eu estava na porta e vi, com convenio da UNIMED, imediatamente entrou e foi atendido, e quando saiu ainda me disse até logo….. isso também não é receita?????? Desde de quando falta médico neste hospital? Desde quando falta funcionário? Desde quando falta material??? Já me cobraram seringa e agulha lá dentro. Cadê os médicos filhos de Santa Rita do Sapucaí, que nasceram aqui, estudaram fora e voltaram para aprender com a nossa população e depoiiiissss tchau para o hospital, tchau para o SUS… Agora é fácil encontrar um culpado, deveriam tirar a bunda da cadeira, acompanhar de perto o que acontece lá dentro e aproveitar a oportunidade para melhorar e não ficar com essas picuinhas que ninguém sabe quem esta falando a verdade.
    POVO vamos ajudar o hospital sim… vamos reduzir gastos, vamos no postinho de saúde primeiro e em ultimo caso procurar o pronto socorro, quem puder ajudar no carnê ajude, quem puder ajudar com mais ajude também, vamos organizar eventos, vamos aproveitar esse blog para reverter em coisas boas e não coisas ruins para a população, precisamos voltar a acreditar e fazer a diferença na nossa cidade.
    Ate porque ficar nessa leva e traz e feio para todo mundo tanto para secretaria de saúde quanto para o hospital então vamos e melhorar a nossa cidade em vez de ficar batendo boca no blog .

  14. Milton disse:

    Cadê o Ministério Público que não faz nada, as acusações são muito fortes, e ninguém processa ninguém, teria que ter uma acareação das pessoas que tem dados para saber quem esta com a verdade e tomar providencia isso tudo cheira mal, precisamos de soluções, quanto eu mais leio menos eu entendo. precisamos da verdade porque tem gente sendo obrigado a colaborar com o hospital. Vejo também somente algumas pessoas dão a cara a tapa, qual será a posição da OAB dos Sindicatos, Faculdades, entidades filantrópicas, será que é melhor cruzar os braços e ver o que vai dar ou vamos cobrar uma solução, caso alguma dessas entidades já estejam cobrando é questão de obrigação a comunidade.

  15. estou no hospital há mais de 39anos, tenho minha vida ali, acertei, errei , mas sempre tentei fazer o meu melhor, assim como outros colegas ,que já não estão mais conosco – Wilfredo, Edmundo , Carlos Alberto, e outros que mudaram, Luiz Fernando, Aloisio, Kallas, mas nós tínhamos como meta – viver o Hospital e por ele lutar – nosso tempo passou e só resta eu, Hélcio, Manoel e Linda
    e não posso deixar de citar a enfermagem, que as vezes ficava quase 60 dias sem receber , lembram ???
    mas no fim tudo deu certo . Hoje sucinta um problema que foi muito exaltado na mídia , e que nem tudo é fato – temos dificuldades , como todos , mas sei que iremos vencer – e para isto é necessário que o santarritense venha nos ajudar a corrigir nossos erros e fortalecer nossos laços .
    nós precisamos de ajuda material e principalmente dos que nos criticam, e nada fazem para cooperar ou mesmo corrigir aquilo que nos critica.. Estávamos na dúvida, porque tentamos solucionar o problema sem levar a público , mas a disparidade entre o que a prefeitura passa e o gasto real , —faz a diferença e se não foi DITO ANTES , para tentar preservar todos, Me desculpem se falei demais, mas o coração me pediu para dizer .

    • Antônio Francisco Silvério disse:

      Bom dia Dr. Jorge!
      Sábias palavras…como poderia esquecer-me que no ano passado o sr. estava me ajudando com a coluna heim!! Lembra né?! Quando entrei travado no PAM, carregado por um funcionário lá e, que graças aos funcionários do PAM e do HAMC me levaram para dentro do hospital, pois se dependesse da médica plantonista na ocasião que não levantou a cabeça e a bunda da cadeira para me atender…..sem comentários. Se lembra que minha esposa ligou para o Sr. e, estava em Lambari no momento e veio logo embora e a primeira coisa que foi fazer em Santa Rita, foi me tirar da agonia que estava numa maca travado..lembra? Mal sabia que estava com 02 hérnias de disco, pois quem tem sabe como é!! Pois esse gesto seu….nunca esqueço..então, todos nós erramos, acertamos mais ainda… com certeza..mas percebo o amor que tem pela profissão, pelo ser humano e pelo hospital HAMC…parabéns e que Deus o abençõe sempre!!

    • Paula disse:

      Concordo com voce Dr.Jorge.

  16. Rita Gonçalves disse:

    Boa noite Isa e demais comentaristas!
    Para os usuários do SUS realmente é constrangedor e revoltante ver os usuários de convênios serem atendidos pelo médico plantonista, que é pago com recursos repassados pela Prefeitura, dando preferência aos clientes de convênios.
    Se o hospital tivesse um gestor experiente e atuante esse problema já teria sido resolvido, é só colocar o “tico e o teco” para trabalhar e buscar uma solução, acredito que poderia ser arrecado mais receitas dos usuários de convênios, porque muitas vezes também se espera obedecendo o protocolo de manchester. Eu mesma já desisti de ser atendida pelo convênio devido a demora e infelizmente naquele dia não havia nenhum médico credenciado em consultório com horário livre que pudesse me atender, ou seja, também aguardamos atendimento,seja no PAM ou em consultório particular.
    Para o hospital se curar, porque ao meu ver hoje ele está mais doente que os pacientes ali atendidos é necessário um plano de ação. O carnê é uma forma de se arrecadar recursos, vamos sim ajudar como disse a Isa, mas queremos transparência e informes sobre onde o dinheiro da arrecadação está sendo aplicado. O HAMC está carente de médicos, esse problema é visível, é preciso investir neles, mas também é preciso investir nos “desmotivados” funcionários que vejo quando vou ao PAM ou visitar um paciente de vez em quando.
    A falta de educação e a grosseria com que somos tratados é reflexo de desmotivação, nem sempre a culpa é do funcionário e sim do administrador que não se preocupa com seus colaboradores. Os profissionais da área de saúde, aquele que administra o medicamento, afere a pressão, a temperatura, se dedica ao moribundo é preciso ser valorizado, não só financeiramente, porque bem sei que o salário pago a eles é digno de pena, quantas vezes esse profissional “limpa” o doente de seus dejetos e não recebe nem um muito obrigado. Também é preciso lembrar da faxineira que deixa o ambiente limpo na maior boa vontade, da cozinheira, da copeira, da moça que recolhe a roupa para trazê-la novamente limpa para o leito hospitalar.
    Capacitar os profissionais, valorizá-los financeiramente e também com elogios, por que não? Um plano de carreira, senhores dirigentes, já pensaram nisso? O ser humano para se doar é preciso ser incentivado e acredito que essa não é a realidade atual dos colaboradores do Hospital Antônio Moreira da Costa.
    Que os dirigentes da Fundação mantenedora do Hospital recebam as bençãos de DEUS diariamente e sejam encaminhados para oferecer ao doente um HOSPITAL MELHOR, UM HOSPITAL CURADO!

  17. Rita Gonçalves disse:

    VAMOS VESTIR A CAMISA DO HOSPITAL ANTÔNIO MOREIRA DA COSTA E RESSUSCITÁ-LO! EU PRECISO DE UM HOSPITAL MELHOR!

  18. Fernanda disse:

    porque nao começar bingos, bailes beneficientes?
    ajudaria enquanto a maioria se diverte ja que doar ninguem quer quem sabe se fazendo assim resolveria????e outra a cidade ta pedindo algo pois nao tem nada no fim de semana pra fazer

Os comentários estão encerrados.