Elefantes fêmeas e casal de camelos permanecem em fazenda

Os animais devem ser transferidos para o Zoo Rio

Os animais deverão ser transferidos para um zoológico do Rio de janeiro ( fotos: Venicio Scatolino )
Clique aqui para ver mais fotos.

Duas fêmeas de elefantes e um casal de camelos estão, há mais de um ano, aguardando uma medida judicial para que possam viver em um espaço específico e, de preferência no seu habitat, próximos a reservas ou parques nacionais.

Os animais se encontram em uma fazenda localizada no bairro Ribeirão, município de Paraguaçu, propriedade do advogado Giuliano Vitório, que ficou como “fiel depositário” até que a Justiça decida o destino dos animais. Os bichos, até então, faziam parte dos espetáculos apresentados pelo Circo de Portugal. Segundo o advogado, esta companhia foi uma das primeiras a abolir números com animais.

Na manhã desta terça-feira, dia 29, as duas elefantes se encontravam acorrentadas em árvores e, em volta, uma cerca eletrificada. Já o casal de camelos estava em um pasto. Um dos caseiros da propriedade contou que as idades das fêmeas são 38 e 40 anos e que atendem pelo nome de “Guida” e “Maia”. A esposa do tratador também comentou sobre o comportamento das elefantes, dizendo que uma delas “adora tomar banho” e que a outra, nem tanto, mas que acabam fazendo festa quando chegam com grandes baldes.

Segundo ainda os funcionários, os camelos comem capim já cortados e para as elefantes, as folhas são inteiras, além de ração e o prato preferido: cenouras. Os animais recebem o trato três vezes ao dia e o banho acontece todos os dias; também recebem muita água para beber.

Em entrevista por telefone, o advogado Giuliano Vitório afirmou que os animais são bem tratados e que três vezes ao dia são tiradas as correntes das patas das elefantes e que elas circulam por ali; isto não foi confirmado pelos funcionários.

Giuliano Vitório disse que também é contra maus tratos e que não tem medido esforços para conseguir um local para os animais. Segundo ele, esta semana saiu a determinação judicial para que os animais fossem transferidos para o Zoo Rio (Rio de Janeiro) e isto só foi possível após análise do domador dos animais.

Sobre Giácomo Costanti

Email: contato@valeindependente.com.br
Esse post foi publicado em Noticias de Minas Gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s